Você sabia que caráter é muito mais imporatnte que carisma?

Dúvida? Ou acha exgero?

Vou te provar que não!

Carisma pode ser útil para atrair pessoas, público, mas é em grande parte inútil quando se trata de fazer isso a longo prazo, ou impactar positivamente as pessoas e organizações que lideramos.

Ao ajudar as pessoas a construir seus negócios, eu frequentemente encontro pessoas cuja imagem pública é mais desenvolvida do que o seu caráter pessoal. Eles são uma pessoa na frente, no palco e outra completamente diferente nos bastidores.

É esta falta fundamental de integridade que mina a eficácia e, se não for controlada, pode destruir todo o legado.

Portanto, continue lendo para saber mais sobre:

[bullet_block style=”size-16″ small_icon=”12.png” width=”” alignment=”center”]

  • O que deixamos entrar em nossas vidas
  • Os relacionamentos que buscamos
  • Os hábitos que adquirimos

[/bullet_block]

Gostou do que vem por aí? Então não deixe de compartilhar com seus amigos para que cada vez mais pessoas descubram como o caráter pode ajudá-los a ter uma vida mais plena, feliz e com sentido.

[bullet_block style=”size-16″ small_icon=”12.png” width=”” alignment=”center”]

[/bullet_block]

Uma liderança eficaz é um trabalho de dentro para fora. É por isso que é tão importante dar atenção ao desenvolvimento de nosso caráter. Sim, o talento é importante. Assim é a educação e a experiência. Mas, no final, é o nosso caráter que constrói ou destrói.

As 3 forças que moldam o caratér

Na minha experiência, caráter é moldado por três forças. Se queremos desenvolver nosso caráter, precisamos dar atenção a cada uma delas.

1 – O que deixamos entrar em nossas vidas

O que consumimos. Na linguagem de TI (Tecnologia da Informação) onde trabalhei por mais de 20 anos, tem uma expressão bem interessante que é “garbage in, garbage out” quer dizer o lixo que entra é o lixo que saí. O mesmo acontece com nossa vida interior.

Uma das melhores maneiras de crescer é através da leitura de livros, ouvir podcasts, acompanhar bons blogs e assistir a conferências.

Mas o oposto também é verdadeiro. Assistindo infinitas horas de televisão sem sentido, ver pornografia, ou acriticamente ingerir o pior da cultura popular corrói o caráter.

É por isso que devemos estar atentos para o que deixamos entrar em nossas vidas, o que consumimos. Isso nos afeta de maneira profunda e complexa. E é a matéria-prima da qual o nosso caráter é formado.

2 – Os relacionamentos que buscamos.

Jim Rohn ensinou que “você é a média das cinco pessoas que você mais convive.” Se isso é verdade, e eu acredito que é, nós temos que ser mais intencionais sobre as pessoas que queremos nos relacionar.

Se você quer ter o peso ideal, saia com pessoas que fazem boa dieta e exercícios.

Se você quer um casamento melhor, conviva com pessoas que têm casamentos saudáveis.

Se você quiser fazer mais dinheiro, associe-se com pessoas que são bem sucedidas.

Por outro lado, se disassocie de pessoas que reforçam seus piores traços. Mesmo a Bíblia adverte, “Más companhias corrompem o bom caráter” (veja 1 Coríntios 15:33). Não se pode permitir relacionamentos que nos levem para baixo, nos deixem mal.

3 – Os hábitos que adquirimos.

Estes são simplesmente os caminhos consistentes que pensamos, falamos e agimos em diferentes situações. Eles, os hábitos, são altamente inconscientes, e é isso que lhes dá poder, tanto positivo como negativamente.

Bons hábitos levam a bons resultados:

Se desenvolvermos o hábito de elogiar o nosso cônjuge em público, por exemplo, ele contribui para um casamento saudável.

Se desenvolvermos o hábito do pensamento otimista, ele pode nos ajudar a lidar com a adversidade.

Se fizermos escolhas alimentares saudáveis, isso pode aumentar a nossa energia, melhorar a nossa produtividade e prolongar nossas vidas.

Mas os maus hábitos podem ter o efeito contrário também. Se você tiver o hábito de reclamar do seu chefe, ele pode te dar um sermão ou te demitir, por exemplo. É por isso que nós temos que ser intencionais sobre a construção de bons hábitos e quebrar nós mesmos os ruins, os maus.

No final, é o nosso caráter que constrói ou destrói. LUCIANO TOLEDO

Conclusão

Nada é mais importante para a nossa eficácia como líderes do que o cultivo de nosso próprio caráter. Por quê? Porque finalmente vamos replicar o que somos, para o bem ou para o mal.

Pergunta: Qual destas três forças que você precisa dar mais atenção nesta fase de seu desenvolvimento como um líder? E como você vai fazer?